#SePuderFiqueEmCasa, mas não deixe de comprar o que precisa. Movimente o Comércio. Informe-se. Até o boteco da esquina está entregando em casa.

13 de outubro de 2017

Será?! Definições indefinitivas (parte III)

Por Zelaznog Ocram


Desembarque de Cabral em Porto Seguro em 1500 (por Oscar Pereira da Silva)
Ele deve ter imaginado: "Esta será uma terra raríssima!"

Sei eu, sabemos nós, que qualquer nuance associada à mineração, no Brasil, tem o poder de produzir no leigo uma sensação de pendenga judicial. É o caso onde a "tecnologia mineira vai processar terras raras". É obrigatório pensar-se que elas não devem ter feito boa coisa. 


Também é preocupante, e só pode ser descuido de alguém, quando nos surpreendemos com a "mineração solta na Amazônia". Se está solta é porque estava presa, então deve ser um risco enorme deixar que ela se aproxime da população. Desconfio que somente os "famosos" poderão prendê-la.

A geologia é outro, digamos, ente perigoso. Basta darmos alguns passos para trás, mais ou menos o correspondente a 450 mil anos, e vamos encontrar um culpado pela geopolítica: a geologia. Assim, justifica-se que se acredite no "Brexit geológico". Só ele explica como a ilha da Grã-Bretanha se separou da Europa.


Essas notícias logo fazem com que as culpas 
pelas catástrofes mundiais se concentrem em suspeitos especiais e constata-se um novo rumo nas investigações: "possibilidade de entrada de rocha na camada atmosférica é investigada". Apresso-me a todos acalmar: não era uma rocha da nossa turma, ela era extraterrestre. 

Para não parecer totalmente pessimista, lembro que nem tudo são perdas e danos, pois "garimpeiras afirmam que tem muito ouro no 'Caldeirão'. Só podem estar bem próximas do pé do arco-íris para saber. Será?! Chegarão mais perto?


Tudo parece ser resultado de ambiguidades e maledicências. Por essas que sei e por outras que adivinho, volto com novas definições indefinitivas na área de geologia e mineração para dar minha desabastada contribuição à causa.


aço auto-temperante: pessoa durona com auto-controle, o que não acontece com o aço bruto e o aço efervescente.


agente redutor: quebra-molas.


carepa subcutânea: sujeira que entra sob a pele, geralmente na proximidade de feridas.


declinação magnética: fascínio sentimental devido à atração física.


desgaseificador: descuidado que abre a tampinha do refrigerante e esquece de fechar.


desertificação: certificação que recebe o desertor ao ser encontrado após a deserção.


diastrofismo laurenciano de cinturões orogênicos: atrofia do diastema no Laurêncio ao produzir grandes cintos com apliques de ouro.


disjunção colunar em derrames por resfriamento: mau jeito na coluna por ataque cardíaco em dia frio.


drag fold: mulher que se veste com roupas extravagantes de homem e imita a voz e os trejeitos tipicamente masculinos; o contrário de drag queen.


drenagem anastomosada: drenagem linfática que se faz onde os vários anástomos (e não as linfas) se abrem e confluem mais adiante.


eletrogalvanização: choque elétrico sofrido por locutor esportivo de emissora de televisão.


eliminação de escória: desova de meliantes.


temperabilidade de elementos de liga: habilidade de tratar o temperamento de homens que usam fita ou elástico para prender a meia à perna.


Será?! Definições indefinitivas (parte II)



Nenhum comentário:

Traduzir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *