13 de outubro de 2022

Notícias em 13/10/2022

Imagem em destaque

Escarpamento Furnas
Este escarpamento estrutural representa um ressalto topográfico que se estende por cerca de 260 km do sul de SP até o leste do PR.
Possui uma linha de escarpa irregular com padrão festonado devido a recortes de cânions. Engloba quatro feições geomorfológicas locais principais: 
(i) Face, em padrão abrupto verticalizado, com desníveis de até 120 m;
(ii) Sopé, em vertentes com inclinação entre 25 e 40 graus, formadas por rampas pedimentares e depósitos de talos;
(iii) Reverso, em superfície suavemente inclinada para o interior; e
(iv) Frente, com relevos residuais constituídos por arenitos silicificados.
É um sítio geomorfológico com um conjunto de paleoformas de relevo bem preservado que revelam informações paleoambientais e estratigráficas. Com uma zona de influência alcançando largura média de 5 km, atinge altitudes de até 1.200 m. Ocorre na borda leste da Bacia do Paraná, expondo toda a sequência sedimentar devoniana da Formação Furnas, assim como a discordância erosiva dela com as unidades subjacentes do Proterozoico e do Eopaleozoico.
Suas rochas foram pouco deformadas pela tectônica rúptil mesozoica-cenozoica. Foi desenvolvido a partir de processos geodinâmicos endógenos iniciados com a ruptura do Gondwana no Jurássico. Seguiram-se processos de soerguimento e ações erosionais diferenciais prolongadas, com dissecação e retrogradação do escarpamento em ambiente com condições climáticas áridas a semi-áridas e quentes, do Cretáceo superior ao Quaternário inferior, sendo mais intensas no Terciário.
Apresenta feições geomorfológicas como relevo ruiniforme, pedimentos, morros testemunhos, pináculos, cânions, cachoeiras e corredeiras, além de grutas em arenitos com vestígios arqueológicos. Estes compreendem principalmente locais de abrigo, condicionados às cavernas e grutas areníticas, com artefatos líticos e cerâmicos, pinturas rupestres e restos de ossos humanos.
Pertencente ao Grupo Paraná, a Formação Furnas, do Devoniano inferior, é constituída basicamente de quartzo-arenitos esbranquiçados finos a grossos, com lutitos e ruditos bastante subordinados. Estes são encontrados principalmente na porção basal, com exceção dos que apresentam raras camadas finas, que ocorrem na porção média superior. São observadas laminações plano-paralelas sub-horizontais, estratificações cruzadas e marcas onduladas de corrente e de onda. O ambiente de deposição pode ter sido marinho costeiro na base e, no topo, a sedimentação teria sido submetida à influência de regimes fluviais anastomosados.
As melhores exposições destas rochas são encontradas nos cortes de estradas, ao longo de trilhas e nos cânions, como o Cânion Pirituba (imagem acima) por onde corre o rio de mesmo nome.
(Crédito da imagem: jaspionsky - fonte1 - fonte2 - fonte3)

Assuntos do dia
mercado, fiscalização, energia alternativa, meio ambiente, paleontologia, terremotos, vulcanismo, ciência espacial e outros.

    Mercado
Mercado do petróleo

Mercado do ferro

Mercado do ouro

Mercado do alumínio


    Fiscalização
PF e Ibama fazem operação contra balsas de garimpo na Amazônia
    (Por André Borges) Ação iniciada nesta quarta-feira (12/10), ocorre no Rio Madeira, em área próxima de Porto Velho, em RO.
    LEIA MAIS em www.estadao.com.br


    Energia alternativa
De acordo com o Ibama, já são 66 projetos voltados para o desenvolvimento de geração de energia eólica offshore só no Brasil
    (Por Roberta Souza) De acordo com os dados mais recentes de agosto de 2022, estes projetos estão espalhados pelos estados do RS (21 projetos), CE (19), RJ (9) e RN (8).
    LEIA MAIS em clickpetroleoegas.com.br

Pela 1ª vez, Grécia é 100% abastecida por energia renovável: "Um recorde de otimismo"
    Por cinco horas no dia 7 de outubro, o país atingiu um marco que o mundo todo busca com cada vez mais urgência, e isso em plena crise do gás na Europa. Ambientalistas celebraram feito.
    LEIA MAIS em umsoplaneta.globo.com

Instituto Americano do Petróleo aposta alto na produção de hidrogênio verde a partir de gás natural


    Meio Ambiente
Avanço importante na busca de prever com precisão as flutuações na rotação da Terra e, portanto, a duração do dia

A queima de gás natural destrói muito metano?
    De acordo com um novo estudo de Genevieve Plant, da Universidade de Michigan, nos EUA, e colegas, a prática de queima de gás natural que escapa de poços de petróleo e gás para reduzir as emissões de metano na atmosfera é muito menos eficaz do que se pensava anteriormente.
    LEIA MAIS em noticiasdelaciencia.com

A causa da rápida acidificação do Oceano Ártico ocidental
    Estudo sugere que este aumento na taxa de acidificação do Oceano Ártico ocidental foi impulsionado pela rápida perda de gelo marinho na região, que expôs águas pobres em dióxido de carbono (CO2) à atmosfera, onde podem absorver mais CO2.
    LEIA MAIS em noticiasdelaciencia.com

Descongelamento do permafrost e emissões de gases de efeito estufa
    De acordo com novo estudo, as mudanças climáticas irão melhorar o processo de descarga de metano do permafrost para os lagos árticos através das águas subterrâneas, "e é por isso que este processo deve ser incluído nos modelos de previsão climática".
    LEIA MAIS em noticiasdelaciencia.com


    Paleontologia
Descobertos habitats desconhecidos na flora carbonífera dos Pirineus
    A espécie Sigillaria bradii, uma planta fóssil típica das turfeiras e abundante na flora europeia e norte-americana durante o Carbonífero Tardio, colonizou novos espaços nos leitos dos rios da Cordilheira Varisca.
    LEIA MAIS em www.dicyt.com

Peixes mortos pelo asteroide que exterminou os dinossauros são encontrados muito bem preservados
    (Por Flavia Correia) Paleontólogos encontraram fósseis de cerca 66 milhões de anos parecidos com esturjões, que viveram na época dos dinossauros.
    LEIA MAIS em olhardigital.com.br

Conheça 9 "fósseis vivos" que pouco (ou nada) evoluíram em milhões de anos
    Pesquisadora de universidade na Austrália traz informações de animais marinhos que permaneceram quase inalterados ao longo do tempo e se encaixam no conceito de Charles Darwin.
    LEIA MAIS em revistagalileu.globo.com

Canguru pré-histórico: bebês já eram carregados em sling há 10 mil anos
    (Por Vitor Paiva) Isto é sugerido pela descoberta do esqueleto de um bebê em um túmulo de cerca de 10 mil anos na caverna de Arma Veirana, na Itália.
    LEIA MAIS em www.hypeness.com.br


    Vulcanismo
Vulcão Popocatepetl

Vulcão Stromboli

Vulcão Hunga Tonga-Hunga Ha’apai
    Este vulcão próximo a Tonga foi responsável pelo florescimento rápido e massivo de fitoplâncton oceânico em apenas 48h após a erupção.
    LEIA MAIS em olhardigital.com.br

Outros vulcões em destaque
    Registram atividade vulcânica significativa: Ebeko na Rússia, Suwanose-Jima no Japão, Fuego na Guatemala, Nevado del Ruiz na Colômbia, Sangay e Reventador no Equador, Sabancaya no Peru e Nevados de Chillán no Chile.
    LEIA MAIS em www.volcanodiscovery.com


    Terremotos
Sismos mundiais com 5 graus ou mais nas últimas 24 horas

Sismos mundiais entre 4,5 e 4,9 graus nas últimas 24 horas
    Dia 12, no norte de Qinghai, China (4,7 graus), no oeste da Ilha MacQuarie (4,7), na região de Fiji (4,6), em Coquimbo, Chile (4,7), na região de Timor Leste (4,5) e na região central do Peru (4,6).
    Dia 13, na região de Nova Britânia, Papua Nova Guiné (4,9 graus), em Simeulue, Indonésia (4,5), no leste das Ilhas Kuril (4,5) e no norte de Xinjiang, China (4,6).
    LEIA MAIS em www.emsc-csem.org


    Ciência espacial
Mapa animado mostra onde está a água em Marte
    (Por Julia Possa) É um mapeamento de mais de dez anos da NASA e ESA (Agência Espacial Europeia). Estima-se que o planeta vermelho tenha tido um imenso oceano há 4 bilhões de anos chamado Oceanus Borealis.
    LEIA MAIS em gizmodo.uol.com.br

Estudo da NASA sugere que pode haver lagos rasos na crosta gelada de Europa, a lua de Júpiter


    Extra
A guerra na Ucrânia


Notícias em 12/10/2022

Nenhum comentário:

Traduzir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *