28 de outubro de 2022

Notícias em 28/10/2022

Imagem em destaque

Serra da Estrela
A Serra da Estrela tem orientação sudoeste-nordeste e está localizada no centro-leste de Portugal, na porção ocidental da Cordilheira Central, entre a Serra da Peña de Francia e a Serra do Açor. Ela faz parte do Parque Natural da Serra da Estrela, com área de 88.850 ha, criado em 1976, que abrange os concelhos de Celorico da Beira, Covilhã, Gouveia, Guarda, Manteigas e Seia. Estende-se desde a cidade da Guarda, a nordeste, até os contrafortes da Serra do Açor, a sudeste.
A história geológica da região começa há cerca de 650 milhões de anos, quando a Península Ibérica estava submersa. Acontecia a deposição de sedimentos argilosos e arenosos em ambiente marinho. Há 380 milhões de anos, no Devoniano, durante a Orogenia Hercínica, colidiram as placas tectônicas Euro-Asiática e Americana. As rochas foram dobradas e a Península Ibérica foi soerguida, enquanto eram formados xistos e grauvacas por metamorfismo. No Carbonífero, produziram-se grandes fraturas por onde o magma granítico ascendeu durante 30 milhões de anos formando rochas granitoides de composições mineralógicas variadas. No Mesozoico, o sistema montanhoso sofreu erosão intensa ao serem expostas suas rochas na superfície. Há 65 milhões de anos, na Orogenia Alpina, a Serra da Estrela tomou forma como resultado da colisão das placas tectônicas Euro-Asiática e Africana, com nova fase de compressão. Há 20 mil anos, no Quaternário, durante o último período glacial, aconteceu a Glaciação de Wurm e, após 10.000 anos, com o aumento das temperaturas, houve a regressão das geleiras, deixando vestígios na Serra da Estrela.
Hoje, são encontrados nesta serra extensos afloramentos de rochas granitoides (granodiorito a leucogranito), com 340 milhões a 280 milhões de anos, e de rochas metamórficas (xistos e grauvacas), com 650 milhões a 500 milhões de anos. Todas estas rochas são atravessadas por numerosos veios de quartzo, pegmatitos graníticos e doleritos.
As rochas granitoides ocorrem principalmente no extremo norte e em partes elevadas. Fora das zonas cobertas por massas de gelo, observa-se um manto de alteração mais ou menos desenvolvido e também o caos de blocos e formas associadas, como tors, castle koppies e nubbins, resultantes da ação da água, do vento, de fenômenos químicos e de variações de temperatura. As áreas de granitoides são dominadas por planaltos extensos com vertentes abruptas, onde os cursos de água se instalaram com traçados essencialmente retilíneos em rede de fraturas tectônicas.
Xistos e grauvacas predominam nos setores sul e sudeste, entre Estrela e Açor e entre Videmonte e Verdelhos. Estas rochas são mais afetadas por processos erosivos e pelo escoamento superficial. Assim, a paisagem assume formas onduladas individualizadas, com rede de drenagem intensa e sinuosa.
Na Glaciação de Wurm, uma calota de gelo ocupou a parte superior da Serra da Estrela e, daquela cúpula gelada, divergiam línguas de gelo que desciam pelos vales periféricos. Nos locais sujeitos às ações erosivas, formaram-se circos e vales glaciais e são encontradas rochas arredondadas, polidas e estriadas, além de morenas e blocos erráticos.
Um dos testemunhos mais importantes deste período de glaciação é o Vale do Zêzere, que se estende por 13 km onde corre o rio de mesmo nome. De suas partes elevadas, é possível ver a Vila de Manteigas. O Vale do Zêzere (na imagem acima) foi criado quando blocos de gelo, ao derreterem, abriram espaço entre as montanhas. Alguns locais, nesta região, recebem os nomes de "cântaros" (por analogia a jarros que guardam água, como os cântaros Magro, Raso e Gordo) e "covões" (semelhantes a grande covas, como o Covão d'Ametade). O Covão d'Ametade está localizado na base do Cântaro Magro e neste cântaro está a fonte do Rio Zêrere.
A Serra da Estrela, sendo uma região elevada, com solos frequentemente escassos ou ausentes, e por sua posição geográfica, determina o isolamento de populações de fauna e flora. Há espécies, subespécies e variedades exclusivas, tais como a silene e a lagartixa-da-montanha. Em 1993, foi designada a Reserva Biogenética, com 16.610 ha, que representa 12% do Parque Natural da Serra da Estrela.
Diz uma lenda local que um pastor que vivia no Vale do Mondego, em Portugal, no norte desta serra, ao ver o nascimento de uma estrela de brilho intenso sobre aquelas montanhas, decidiu segui-la. Ao subir a serra, ficou fascinado com a paisagem que viu dali e batizou o local como Serra da Estrela. Há quem diga que isto aconteceu em um mês de abril, já que a estrela de Aldebaran, a mais brilhante da constelação de Touro, neste mês fica alinhada em posição coerente com a visão do pastor a partir do Vale do Mondego.
(Crédito da imagem: peuplier - fonte1 - fonte2 - fonte3 - fonte4 - fonte5 - fonte6)

Assuntos do dia
mineração, petróleo, mercado, gestão pública, energia alternativa, meio ambiente, geologia, paleontologia, terremotos, vulcanismo, ciência espacial, eventos e outros.

    Mineração
Mosaic Fertilizantes inicia novo ciclo de capacitação de fornecedores em sustentabilidade
    Trata-se do Programa Sustentabilidade na Cadeia de Valor, promovido pelo Instituto Ethos. O projeto visa fomentar práticas de sustentabilidade nos processos de negócio dos prestadores de serviço da empresa.
    LEIA MAIS em ibram.org.br

10 fatos importantes sobre a entrega do Plano de Fechamento de Mina
    A Agência Nacional de Mineração estipulou a data limite para entrega do documento para o dia 01/12/2022. Já contanto com a prorrogação concedida.
    LEIA MAIS em institutominere.com.br


    Petróleo
Karron fecha terceiro trimestre com alta na produção de Baúna e agora avança para o Campo de Patola

Enauta paralisa a produção de um dos poços do Campo de Atlanta


    Mercado
Mercado do petróleo

Mercado do cobre

Mercado do ferro

Mercado do ouro


    Gestão pública
Possibilidade de contratação firme de transporte em dutos longos operados pela Transpetro ocorrerá entre 02/11/2022 e 01/01/2023
    O prazo atende às regras para o livre acesso de terceiros interessados aos dutos de transporte longos previstas no artigo 16, da Resolução ANP nº 35/2012.
    LEIA MAIS em www.gov.br


    Energia alternativa
2W Energia começa a acelerar as obras do Complexo Eólico Kairós

Enel Green Power começa a ampliação do maior parque eólico do Brasil

Investimentos em renováveis chegarão a US$ 2 trilhões até 2030


    Meio Ambiente
Mapas de alta resolução de regiões polares inteiras fornecem novas pistas para pesquisadores climáticos
    Uma equipe de pesquisadores divulgou mais quatro anos de dados de imagens de alta resolução, que foram adicionados a oito anos de dados anteriores, para criar os mapas de terreno da região polar mais detalhados já criados.
    LEIA MAIS em www.sciencedaily.com


    Geologia
Um vulcão submarino, as trilobitas gigantes e a maior discordância ibérica são 3 locais portugueses de interesse geológico internacional
    (Por Vera Novais) A União Internacional de Ciências Geológicas escolheu os primeiros 100 sítios de interesse geológico internacional. Há três sítios portugueses que ajudam a contar história desta ciência.
    LEIA MAIS em observador.pt

Pesquisas da Ufes contribuem para o reconhecimento da geodiversidade do ES
    Os trabalhos, realizados por estudantes finalistas do curso de Geologia da Ufes nos últimos seis anos, resultaram na produção de mapas geológicos de detalhe e no cadastro de cinco sítios geológicos capixabas.
    LEIA MAIS em www.ufes.br


    Paleontologia
Nove animais que são considerados fósseis vivos
    (Por Bruno Dias) Dentre todos os habitats do nosso planeta, as profundezas dos oceanos são um bom lugar para existir esses fósseis vivos, sendo eles entre duas a quatro vezes mais distintos evolutivamente do que os animais terrestres.
    LEIA MAIS em www.fatosdesconhecidos.com.br


    Vulcanismo
Vulcão Mauna Loa

Vulcão Cotopaxi

Vulcão Popocatepetl

Outros vulcões em destaque
    Registram atividade vulcânica significativa: Maly Semichik e Karymsky na Rússia, Taal nas Filipinas, Ibu, Krakatau e Semeru na Indonésia, Fuego na Guatemala, Nevado del Ruiz na Colômbia, Sangay e Reventador no Equador e Sabancaya no Peru.
    LEIA MAIS em www.volcanodiscovery.com


    Terremotos
Sismos mundiais com 5 graus ou mais nas últimas 24 horas
    Dia 27, nas Ilhas Kuril (5,2 graus), em Hokkaido, região do Japão (5,0), e na costa norte de Nova Guiné, Papua Nova Guiné (5,2).
    Dia 28, a leste da Ilha Norte, Nova Zelândia (5,4 graus).

Sismos mundiais entre 4,5 e 4,9 graus nas últimas 24 horas
    Dia 27, em Guerrero, México (4,9 graus), nas Ilhas Izu, região do Japão (4,5), na região da República Dominicana (4,5), no mar das Flores (4,6), nas Ilhas Kuril (4,7), em Halmahera, Indonésia (4,8), no sul das Ilhas Fiji (4,6), no leste da região de Nova Guiné, Papua Nova Guiné (4,6), na Ilha Norte, Nova Zelândia (4,7), e na região de Sumba, Indonésia (4,5).
    Dia 28, no mar de Celebes (4,5 graus) e dois na costa da região central do Peru (4,9 e 4,6).
    LEIA MAIS em www.emsc-csem.org


    Ciência espacial
Detectada pela primeira vez a propagação de ondas sísmicas de superfície em Marte

Provavelmente há magma moldando Marte
    Embora Marte tenha sido considerado um planeta geologicamente morto, os sinais sísmicos indicam que o vulcanismo ainda desempenha um papel ativo na formação da superfície.
    LEIA MAIS em www.diarioestrategia.cl


    Eventos
PodMinerar
    Especialistas debateram as prioridades da agenda regulatória do setor mineral no PodMinerar desta 5ª feira.
    LEIA MAIS em ibram.org.br

Webinar "Conheça o poder das rochas brasileiras"


    Extra
Brasil tem três dos dez geoparques da América do Sul
    Reconhecidos como Geoparques Mundial da Unesco estão: Araripe, no CE; Seridó, no RN; e Caminhos dos Cânions do Sul, entre o RS e SC.
    LEIA MAIS em www.gov.br

Sumidouro na mina chilena de Lundin deve impactar a produção de cobre
    A suspensão das operações de mineração na mina de Alcaparrosa da empresa canadense Lundin Mining, no norte do Chile, devido ao aparecimento de um sumidouro de 60 m, impactará a produção de cobre da empresa este ano em 2%.
    LEIA MAIS em www.bnamericas.com

"Jurassic Park brasileiro": Museu de Paleontologia reabre as portas no interior de SP após quatro anos
    (Por Heytor Campezzi / g1 Bauru e Marília) Instituição em Marília (SP) volta a exibir parte dos mais de dois mil fragmentos de ossos de criaturas primitivas descobertos no centro-oeste paulista. Região é um dos principais potenciais fossilíferos da América do Sul.
    LEIA MAIS em g1.globo.com


Notícias em 27/10/2022

Nenhum comentário:

Traduzir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *