Em breve:
A geologia das praias coloridas do Oceano Pacífico - Parte II - Sudeste da Ásia

22 de janeiro de 2023

História e Geografia da Patagônia Austral

Por Marco Gonzalez

Ilustração que retrata um grupo de Tehuelches, de autor desconhecido, feita durante viagem de 1832 liderada pelo explorador e oficial naval Francês Jules Dumont d'Urville (1790-1842) (Fonte: NOOA)

1. Toponímia

O nome Patagônia tem duas principais hipóteses de origem e ambas envolvem o navegador português Fernão de Magalhães (1480-1521) e a expedição de 1520 comandada por ele. Esta expedição tinha o objetivo de chegar às Índias Orientais abrindo uma nova rota desde o Ocidente. Nela, Magalhães, tentando encontrar o que seria chamado de "Estreito de Magalhães" (daqui em diante "Estreito de Magallanes", sempre dando preferência neste texto à toponímia local), conheceu os nativos Tehuelches e ficou impressionado com a estatura avantajada deles. Na primeira hipótese, o navegador teria usado a expressão portuguesa "pata gau", que significa "pé grande", para apelidar os Tehuelches. A segunda hipótese tem a ver com o romance espanhol de cavalaria "Primaleón" [e3], de 1512, do escritor espanhol Francisco Vásquez [p4]. Neste romance havia um personagem gigante chamado "Patagón" e Magalhães teria nomeado assim os tehuelches. Então, a terra dos "patas gaus" ou dos "patagóns" virou "Patagônia" [e3].

No sul da Patagônia, outro fato histórico associado a um nome e também a uma rota entre o Atlântico e o Pacífico, aconteceu entre 1826 e 1830: a descoberta do Canal Beagle. O naturalista, geólogo e biólogo britânico Charles Robert Darwin (1809-1882) [s2] navegou pelo famoso canal. Estava a bordo do veleiro da Marinha Real Britânica, o HMS Beagle, capitaneado pelo explorador britânico Robert FitzRoy (1805-1864). O objetivo da viagem era melhorar os mapas náuticos da América do Sul e reunir evidências geológicas sobre o dilúvio bíblico [d2]. Parece que Darwin começou a ter outras ideias.

Além de "Patagonia" e "Beagle", o extremo sul da América do Sul oferece diversas outras toponímias famosas. Uma delas é "Tierra del Fuego" que nomeia uma região abrangida politicamente pela província Tierra del Fuego, do Chile, e pela província Tierra del Fuego, Antártida y Islas del Atlántico Sur, da Argentina [p3]. Este nome provavelmente tem origem relacionada ao marinheiro, geógrafo e escritor vicentino Antonio Pigafetta (1491-1534). Foi o cronista da primeira armada que atravessou o Estreito de Magallanes, como auxiliar de Fernão de Magalhães. Uma das versões conta que, ao regressar à Espanha, Pigafetta relatou ao Imperador Carlos V (1500-1558) que havia avistado muita fumaça na região próxima ao Estreito de Magallanes. Carlos V, deduzindo que onde há fumaça há fogo, passou a se referir à região como "Tierra del Fuego". O nome ficou esquecido até que, em 1598, o mapa do holandês Peter Keer, ao localizar o Estreito, registrou o nome "Tierra del Fuego" [e2].

No extremo sudoeste da Isla Grande de Tierra del Fuego, aparecem a cidade de Ushuaia e, à esquerda, o Canal Beagle. Ao fundo, pequena porção da neve da Cordilheira Darwin é vista bem à esquerda. As elevações dos Andes Fueguinos surgem ao centro e à direita (Foto: Tatiana Gonzalez)

Andes Fueguinos (ou Cordillera Fueguina): Continuação da Cordilheira dos Andes, com orientação leste-oeste, no extremo sul da Isla Grande de Tierra del Fuego.

2. Um pouco da geografia da Patagônia Austral

A Patagônia Austral abrange, no Chile, as regiões de Aysén e Magallanes y la Antártica Chilena, e, na Argentina, as províncias de Santa Cruz e Tierra del Fuego, Antártida e Islas del Atlántico Sur.

2.1. Patagônia Austral chilena

O capítulo IV da Constitución Política de Chile, no artigo 110, estabelece a divisão do país em regiões e estas em províncias [d3]. Na Patagônia Austral chilena abrange a província de Aysén e a região de Magallanes y la Antártica Chilena.

2.1.1. Aysén

Na Patagônia Austral, Aysén ocupa pouco mais de 100.000 km² [r1], com as seguintes províncias: Aysén, Capitán Prat e General Carrera. A cidade de Coyhaique é a capital desta região [c1]. A geografia é caracterizada por grande número de canais marítimos e fiordes. Possui clima frio oceânico com fortes ventos e muito umidade [r1].

A economia de Aysén depende da pecuária, da pesca, do turismo e, em menor proporção, da mineração [c1], com destaque para a mineração de ouro e prata de Cerro Bayo em General Carrera [g4].

Na região de Aysén são encontrados sete parques nacionais (Patagonia, Isla Guamblin, Dos Lagunas, Cinco Hermanas, Queulat, Laguna San Rafael e Bernardo O'Higgins) e metade de sua superfície faz parte do Sistema Nacional de Áreas Silvestres Protegidas [c1].

2.1.2. Magallanes y la Antártica Chilena 

Esta região se situa no extremo sul do território chileno e é a maior do país com 1.382.291 km². Destes, 1.250.000 km² englobam o Território Antártico Chileno [r1], ficando o restante para três províncias: Última Esperanza, Magallanes e Tierra del Fuego. Sua capital é Punta Arenas [c1]. 

O Chile considera que fortaleceu sua presença na porção sul desta região, especificamente no Território Antártico Chileno nas proximidades do Estreito de Magallanes, através do Estatuto Antártico Chileno, de 2020 [a1].

Com baixas temperaturas e fortes ventos durante todo o ano, esta região possui os climas de estepe frio semi-árido, transandino, frio de altitude e de tundra temperada fria e úmida [r1].

Na economia, a indústria de transformação é a mais importante, seguida por pecuária, mineração, pesca e turismo [c1]. Na atividade industrial, o destaque é a extração e produção de hidrocarbonetos [m1].

Esta região engloba três Reservas Nacionais (Magallanes, Laguna Parrillar e Alcalufes) e quatro Parques Nacionais (Pali Aike, Cabo Horn, Bernardo O'Higgins e Alberto de Agostini) [c1].

2.2. Patagônia Austral argentina

O "Tratado Fundacional de La Región de La Patagonia" [p1], de 1996, subdividiu a Patagônia Argentina em seis províncias [a2]. Destas, fazem parte da Patagônia Austral, a província de Santa Cruz e, no extremo sul, a província de Tierra del Fuego, Antártida e Islas del Atlântico Sur [r2].

2.2.1. Santa Cruz

A província de Santa Cruz tem uma área de 243.943 Km² e sua capital é Río Gallegos [p5].

Seu clima é semidesértico patagônico, frío e seco, e com ventos constantes vindos do Pacífico. A temperatura média é de 13ºC no verão e 3ºC no inverno [p5].

Na Província de Santa Cruz, a estepe patagônica, o Lago Argentino e os Andes ao fundo (Foto: Marco Gonzalez).

No final do século XIX, a Província de Santa Cruz iniciou a ser povoada, tendo a pecuária como atividade econômica principal, com o objetivo de incorporar as "terras vazias" da região. Atualmente, seus recursos, além da pecuária, incluem mineração, pesca e turismo. A produção mineira tem relevante exploração de minerais não metálicos, como o carvão na Bacia Carbonífera do Rio Turbio [g2].

Santa Cruz é importante produtora de petróleo e gás natural da Argentina, sendo sua atividade econômica principal. A maior parte da sua produção de petróleo vem da Bacia do Golfo de San Jorge, a nordeste (compartilhada com a Província de Chubut), enquanto a produção de gás tem origem principalmente na Bacia Austral, ao sul (compartilhada com Tierra del Fuego) [g2].

A Província de Santa Cruz abrange cinco Parques Nacionais (Los Glaciares, Perito Moreno, Patagônia,  Bosques Petrificados de Jaramillo e Monte León) e dois Parques Interjurisdicionais Marinhos (Makenke e Isla Pingüino) [p5].

2.2.2. Tierra del Fuego, Antártida e Islas del Atlántico Sur

Esta província foi considerada Território Nacional em 1957 [s2]. Tem uma área de 987.168 km² e sua capital é Ushuaia [p5]. É composta pela parte oriental de Isla Grande de Tierra del Fuego e, ainda, pela Isla de los Estados, pela Antártida Argentina e pelas ilhas do Atlântico sul (Malvinas, Sandwich del Sur, Orcadas del Sur e Georgias del Sur). Sua capital é Ushuaia [p6].

Seu clima é frio com grandes variações determinadas pela altitude, pelo grau de penetração no continente e pela latitude. As temperaturas menos baixas são encontradas no norte da Isla Grande de Tierra del Fuego e nas Malvinas [p5].

Esta província é importante produtora argentina de gás natural, tendo a exploração offshore como principal fonte. A pesca e a aquicultura são também fundamentais origens de recursos, além de Ushuaia ser centro turístico de relevância internacional [p5].

Nesta província são encontrados o Parque Nacional Tierra del Fuego e a Reserva Natural Silvestre Isla de los Estados [p5].


Nenhum comentário:

Traduzir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *