21 de julho de 2019

Notícias em 21/07/2019

Assuntos do dia:
petróleo, garimpo, paleontologia, terremotos, vulcanismo, arqueologia e asteroides.

Vale de la Muerte
Esta é a região do deserto de Atacama, no Chile, nas proximidades da cidade de São Pedro de Atacama. À direita, em primeiro plano na imagem, aparece a Piedra del Coyoite (com espessura aproximada de 2 m). O Valle de la Muerte (nome gerado por equívoco de pronúncia já que foi batizado originalmente como Valle de Marte por causa da sua paisagem "marciana"), que aparece ao fundo, é uma área cercada por falésias erodidas, pequenas colinas e dunas de areia. As formações rochosas incluem camadas de clorato, borato, cálcio e argila. Os sedimentos formadores das rochas locais depositaram-se em ambiente lacustre no Oligoceno. Durante o Mioceno a área se tornou árida. A paisagem é resultado de transformações das rochas produzidas por dobramentos que refletem a atividade das placas tectônicas sob a região.
(Crédito da imagem: Tatiana Gonzalez - fonte1 - fonte2)

    Petróleo
EUA: exportações de petróleo bruto em alta


    Garimpo
Regularização de garimpos clandestinos
    Grupo de trabalho formalizado pelo Ministério de Minas e Energia tem o objetivo de estudar medidas para regularizar garimpos clandestinos.
    LEIA MAIS em www.rondoniaovivo.com


    Paleontologia
Cova de tatu gigante encontrada na Argentina


    Vulcanismo
Brasil é atingido por cinzas do vulcão Ubinas

Cinzas do Etna cobrem Sicília
    (Por Reuters) Na Itália, o vulcão Etna, com a erupção de sábado (20) forçou o fechamento de aeroportos da região da Sicília, que já reabriram.
    LEIA MAIS em noticias.r7.com

Quanto tempo o magma fica armazenado antes das erupções?
    Responder esta questão é o objetivo de pesquisadores da Universidade de Cambridge ao estudarem "relógios de cristal" ("crystal cloks").
    LEIA MAIS em www.geologyin.com


    Terremotos
Terremoto em Papua Nova Guiné

Terremoto nas Ilhas Kermadec


    Arqueologia
Tesouros arqueológicos encontrados ao largo da Galícia


    Asteroides
Meteorito de 4,6 bilhões de anos encontrado na Austrália

Grã-Bretanha: maior cratera de impacto ainda não foi encontrada
    Um manto de material explodido pelo impacto há 1,2 bilhão de anos é a única pista disponível.
    LEIA MAIS em eos.org


Notícias em 20/07/2019

Nenhum comentário:

Traduzir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *